São textos de um mero estudante cujo objetivo é sintetizar seus conhecimentos.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

APRENDENDO A UTILIZAR O VBA NO EXCEL - Aula 2



ALGORITMO

A denominação mais comum para Algoritmo é uma descrição do passo a passo de um método que resulta na solução de um problema. Utilizando a linguagem de programação podemos codificar um algoritmo, essa codificação é traduzida para máquina através de compilação e interpretação, processo de ambas juntas o qual chamamos de tradução.

De uma maneira básica podemos dizer que a programação pode ocorrer de quatro formas:
  •  Programação linear;
  •  Programação modular;
  •  Programação estruturada;
  •  Programação por objetos.

Para proceder à elaboração de um programa é importante trabalhar três fases:
  •  Análise do problema;
  •  Criação do Algoritmo;
  •  Transformar o algoritmo em linguagem de programação.

Normalmente se utiliza um fluxograma para criação do algoritmo. Definido o problema, na criação do algoritmo deve se refinar o conjunto de procedimento, importante lembra para dividir o problema em partes menores, como forma de trabalharmos por etapas.

Existem algumas características para o algoritmo, a saber:
  •  Definição;
  •  Entrada;
  •  Saída;
  •  Fim (finitude)
  •  Ser eficiente.

Existem três estruturas básicas que constitui um programa: seqüência, seleção e repetição. Essas estruturas têm sempre um começo (Entrada) e um final (Saída).

VOCABULÁRIO:

Active – X: Linguagem de programação utilizada para páginas da Internet que permite a exibição de elementos multimídia.

ADSL: Utilizada para transmissão de dados em alta velocidade em linha telefônica comum, deriva-se do termo inglês Asymmetric Digital Subscriber Line (Linha Digital Assimétrica para Assinantes).

sábado, 22 de janeiro de 2011

APRENDENDO A UTILIZAR O VBA NO EXCEL - Aula 1


VBAVisual Basic for Appplications é uma linguagem de programação baseada no Visual Basic da Microsoft, voltada para criação de macros, resolver problemas de cálculos e de processamento de informação que exijam planilhas no Excel mais complexas. O VBA Acompanha toda a família Microsoft Office e também pode ser utilizada outros software como CorelDraw, AutoCad e Delphi.



O Excel interage com o VBA através de um conjunto de comandos especiais, os quais alguns chamam de biblioteca de objetos.

Na próxima aula iniciaremos com algumas informações preliminares dos conceitos utilizados na linguagem de programação, isso permitirá entender melhor como utilizar essa ferramenta no seu dia a dia.

Em cada aula traremos um pequeno vocabulário de termos para auxiliar aos estudantes de informática que não tem conhecimento profissional a se familiarizar melhor com a área.

VOCABULÁRIO:

Acesso dedicado: Conexão da Internet onde o computador fica permanentemente conectado.
Acesso discado: Conexão da Internet onde o computador fica temporariamente conectado.
Acesso remoto: Constitui num acesso a dados de um computador ou servidor que está distante do local o qual estamos acessando, ele é feito por uma rede externa.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

O VALOR DO DINHEIRO NO TEMPO


Uma organização ou um indivíduo tem a opção de aplicar seu dinheiro em grandes variedades de ativos. O grande objetivo é satisfazer uma necessidade básica ou maximizar o valor aplicado. Para isso o recurso aplicado tem um determinado valor no tempo.

Dado um valor hoje, esse é definido como valor presente (VP), acrescido de uma taxa de juros num determinado tempo, ou seja, prazo (n), cujo valor gerado pelos juros (i) somado ao próprio valor presente definirá esse montante como sendo valor futuro (VF). Então teremos a seguinte classificação:
  • VP = Valor presente;
  • i = Juros;
  • n = Prazo;
  • VF = Valor futuro.
Vejamos um exemplo:

Um investidor aplicou 10.000 a uma taxa de retorno garantida de 10%, no final de um único período (um ano). 

VP = 10.000
I = 10%
n= 1 ano
VF = 11.000

Vejamos o cálculo:

VF = 10.000 x 1,10 = 11.000

Agora vamos inverter um pouco o exemplo, se o investidor quisesse ter um montante de 11.000 no ano com uma taxa de retorno garantida de 10%

Vejamos o cálculo:

VP = 11.000 : 1,10 = 10.000

Podemos ainda utilizar outros conceitos para determinar o valor do dinheiro no tempo, tais como:
  • Valor presente líquido;
  • Valor futuro líquido;
  •  Payback;
  • Taxa interna de retorno;
Em outros artigos iremos abordar individualmente cada um deles.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

ORÇAMENTO E PROCESSO DE GESTÃO


As decisões mais complexas são de difícil reversibilidade. O modelo de gestão adotado deve está em sintonia com o planejamento estratégico da empresa. O modelo inicia no planejamento, na execução e no controle.

Dadas as diretrizes da diretoria no tocante ao planejamento estratégico, para execução desse, deve-se ter alguns instrumentos para facilitar a decisão:

• Relação de projetos;
• Orçamento estratégico;

Ciclo para o processo de gestão orçamentária:





O orçamento elucida a estratégia adotada pela empresa e deve ter maior grau de detalhe possível, além de um cronograma específico.

O controle permitirá apuração das informações de conformidades quanto às premissas estabelecidas. Além de identificar as áreas problemáticas e a capacidade de correção das anomalias.


sábado, 15 de janeiro de 2011

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE DE CUSTOS


Criada com a missão de complementar a contabilidade financeira, hoje, a contabilidade de custo fornece subsídios para todo o sistema de informações gerenciais, compreendido entre:
  • Contabilidade financeira;
  • Contabilidade gerencial;
  • Contabilidade de custos;
  • Sistema orçamentário.
Em seus primórdios a sua primeira avaliação era quanto aos estoques em empresas industriais, avaliando-se os estoques inicial e final.

CPV = Estoques iniciais + Custos de produção - estoques finais
LB = Receitas sobre vendas - Custos de Produtos vendidos (CPV)

Existe uma terminologia contábil adotada em função dos custos industriais:

  • Gasto;
  • Desembolso;
  • Investimento;
  • Custo;
  • Despesa;
  • Perda.
Para finalizar, posteriormente teremos mais informações sobre o sistema de custeio.


sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO


Vamos pensar da seguinte maneira, quando produzimos um produto, temos um custo que varia conforme a quantidade produzida, este custo é chamado de variável. Quando vendemos esse produto e deduzimos o custo variável de produção, conseguindo um resultado positivo, o capital que sobra chamamos de margem de contribuição.

O grande desafio da empresa é permitir que esse capital restante faça a cobertura dos custos fixos e do lucro, isso, claro logo após a companhia ter alcançado o ponto de equilíbrio.

PONTO DE EQUILÍBRIO


“Ponto de equilíbrio é o volume de vendas que, multiplicando pela margem de contribuição unitária, resulta em margem de contribuição total igual ao total de despesas fixas.”

                               John A. Tracy

Vejamos uma fórmula simples para entendermos como calcular o ponto de equilíbrio, um dos fatores primordiais para sobrevivência de uma empresa:

CF = Custo fixo
CV = Custo variável
Q = Quantidade produzida
P = Renda por unidade (Preço)
RT = Receita total

Fórmulas:

P.Q = CF +CV.Q
(P-CV).Q = CF
Q = CF : (P - CV) 

Exemplificando:

Uma empresa fabrica um produto X para oferecer ao preço de R$: 100. O custo fixo ao ano será de R$: 50.000 e o custo variável será de R$: 50 por produto. Para sabermos o ponto de equilíbrio devemos utilizar a seguinte fórmula:

Q = 50.000 : (100 – 50)
Q = 50.000 : 50
Q = 1.000

Então a quantidade a ser produzida para alcançarmos o ponto de equilíbrio será de 1.000 unidades do produto X, ou seja, para que a receita seja igual ao total de custos.

Permite a tomada de decisão na hora da precificação do produto e mensurar a estratégia a ser adotada quanto à questão de mercado, oferta e demanda.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

NORMAS TÉCNICAS

O conceito básico de norma técnica é o documento que estabelece regras ou diretrizes para produção ou prestação de serviços. Ela engloba as normas, especificações técnicas e regulamentos.

Qual o objetivo da sua criação? É proporcionar benefícios para empresa, funcionários e sociedade, com produtos e serviços com mais qualidade e segurança.

Os níveis de normalização podem ser:

  • Das empresas;
  • Associações;
  • Nacional;
  • Internacional.

Elas permitem um melhor sistema de qualidade. Envolvendo função sistemática, políticas e diretrizes, processos eficientes e melhorias contínuas.

O desenvolvimento de uma norma técnica tipo ABNT passa quatro níveis, a saber:

  • Diretrizes, preparação e apresentação;

  • Elaboração e revisão;
  • Implantação;

  • Auditoria.

As auditorias de qualidades permitem identificar os pontos que necessitam de ações corretivas, elas podem ser efetuadas por auditores internos e auditores externos, nesse último caso permitindo maior credibilidade nas transparências das informações e análises. De qualquer forma os auditores internos contribuem para o controle do processo de produção ou de serviços.

O grande objetivo das empresas que desenvolvem programas de qualidade é proporcionar para o consumidor final a satisfação em seus produtos ou serviços. Adicionalmente estarem credenciados por órgãos certificadores nacionais ou internacionais.


terça-feira, 11 de janeiro de 2011

FERRAMENTAS DE QUALIDADE


Os que são ferramentas de qualidades? São modelos definidos e testados que auxiliam aos gestores na busca de soluções de problemas operacionais, facilitando o mapeamento dos processos e permitindo a análise de dados através da organização das informações.

Segue abaixo o nome de algumas dessas ferramentas:

  • Brainstorming (também conhecida como tempestades de idéias);
  • Carta de controle;
  • Diagrama de dispersão;
  • Diagrama de causa e efeito;
  • Gráfico de Pareto (Permitiu a criação da curva ABC);
  • Fluxograma;
  • Histograma.
A utilização dessas ferramentas permite aos seus usuários pensarem de forma mais criativas e ter maior controle dos processos de negócios de uma organização.

SETORES DE PRODUÇÃO


Os setores de produção de uma economia são classificados a saber:

Primário – Trata-se de atividades econômicas que produzem matérias-primas, tais como:
  • Agropecuária;
  • Agricultura;
  •  Extrativismo (Vegetal e mineral).
 ·       Secundário – Trata-se do setor industrial responsável pela transformação das matérias-primas, realizadas pelo homem através de máquinas e ferramentas, tais como:
  •   Produção fabril;
  • Indústria farmacêutica;
  • Indústria de autopeças.
Terciário – Trata-se do setor de serviços, tais como:
  •  Sistema bancário;
  • Comércio;
  • Administração pública;
  • Comunicação
Entre outros não relacionados, mas que não produzem bens físicos.

CENÁRIOS FINANCEIROS


Para visualização do futuro e a tomada de decisões estratégicas é necessário a criação de cenários financeiros. As decisões mais difíceis são aquelas que de imediato impactam em nossas vidas e se alongam além daquele momento decisivo.

É prudente tomar mais tempo nas análises, pois quando tomamos algumas decisões as conseqüências se tornam mais difíceis de reverter, seja por questões financeiras, emocionais ou até materiais.

A criação de cenários financeiros permite que as decisões estratégicas sejam tomadas com um mínimo de planejamento. Essas decisões parte dos princípios do que seremos e do que queremos para nossas vidas e a vida de uma organização.

Basicamente para enxergar o futuro é necessário termos três condições a saber:

  • ·         Previsão;
  • ·         Projeção;
  • ·         Planejamento.

Com a previsão teremos as probabilidades para com o conhecimento do passado e do futuro tratarmos da projeção. Com a análise da projeção é que partimos para o planejamento definindo o conjunto de decisões a serem tomadas.